quarta-feira, 30 de julho de 2014

Cold Blood - Live At The Fillmore West, 30th June 1971

Cover 1
Banda: Cold Blood
Disco: Live At The Fillmore West, 30th June 1971
Ano: 2014
Gênero: Blues Rock, Boogie Rock, Funk, Soul
Faixas:
1. You Got Me Hummin' (Porter, Hayes) 5:06
2. Too Many People (Cold Blood) 4:53
3. Lo And Behold (Taylor) 4:44
 
4. Let Me Down Easy (MacDougal, Holloway) 5:27
5. Funky On My Back (Cold Blood) 8:24
6. Your Good Thing (Hayes, Porter) 6:12
7. Watch Your Step (Parker) 5:33
8. Shop Talk (Cold Blood) 8:18
9. I Wish I Knew How It Would Feel To Be Free (Taylor, Dallas) 8:17
10. Understanding (Cold Blood) 6:23
11. I Just Want To Make Love To You (Dixon) 11:37
12. I'm A Good Woman (Ozen) 2:52
Créditos (prováveis):
Lydia Pense: Vocals
Larry Field: Guitar
Raul Matute: Organ, Piano
Rod Ellicott: Bass
Sandy McKee: Drums, Vocals, Percussion
Danny Hull: Tenor Saxophone, Flute
Larry Jonutz: Trombone, Trumpet
Mic Gillette: Trombone, Trumpet, Flugelhorn
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).
3Uma atração famosa pelas apresentações ao vivo na sua nativa San Francisco, a Cold Blood contou com a potente e bluseira voz de Lydia Pense e ecoou o som pesado, agudo e alto da Tower Of Power. Formado em 1968, o grupo - Larry Field (guitarra), Paul Matute (teclados), Danny Hull (saxofone), Jerry Jonutz (saxofone), David Padron (trompete), Larry Jonutz (trompete), Paul Ellicot (baixo), Frank J. David (bateria), além de Pense - assinou, no ano seguinte, com o selo Fillmore, do empresário Bill Graham. Dois discos daí resultaram antes da banda transferir-se para a Reprise Records.
Lydia Pense - Cold BloodLançamentos posteriores não conseguiram recapturar a notável qualidade dos primeiros álbuns, não obstante o último disco ter sido produzido pelo guitarrista Steve Cropper. A maioria do grupo já se inativou, porém Gaylord Birch, baterista de uma das derradeiras formações, trabalhou posteriormente com Santana, Pointer Sisters e Graham Central Station.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Steve Winwood - Arc Of A Diver [Deluxe Edition]

Cover
Músico: Steve Winwood
Disco: Arc Of A Diver [Deluxe Edition]
Ano: 1980(*)
Gênero: Classic Rock
Músicas:
Disc 1: Original Album
1. While You See A Chance (5:14)
2. Arc Of A Diver (5:28)
3. Second-Hand Woman (3:43)
4. Slowdown Sundown (5:27)
5. Spanish Dancer (5:59)
6. Night Train (7:51)
7. Dust (6:18)
Disc 2: Bonus
1. Arc Of A Diver [Edited US Single Version] (4:16)
2. Night Train [Instrumental Version] (6:44)
3. Spanish Dancer [2010 Version] (6:13)
4. Arc Of A Diver: The Steve Winwood Story [Originally aired on BBC Radio 2] (56:33)(**)
Músicas de autoria de Steve Winwood e Will Jennings, exceto "Arc Of A Diver", composta por Winwood e Vivian Stanshall, e "Second-Hand Woman" e "Dust", compostas por Winwood e George Fleming.
Créditos:
Steve Winwood: Acoustic Guitars, Electric Guitars, Bass, Drums, Percussion, Keyboards, Synthesizers, Lead Vocals, Backing Vocals
(*) CD lançado em 2012.
(**) Convém alertar que a faixa não é uma música, mas sim a história de Steve Winwood contada em áudio em inglês, através de depoimentos e narrativas, entremeados por trechos de canções do músico.
Logo Design by FlamingText.com
_______ 
Biografia:
Apesar de Stevie Winwood não ter gravado nenhum disco solo até 1977, sua importância para o pop/rock britânico no período abarcado por este livro é tamanha que ele faz jus a uma menção aqui. Ele nasceu em 12 de maio de 1948, em Birmingham, e estava tocando com Muff, seu irmão mais velho, e Pete York, integrantes da Muff-Woody Jaz Band, no Golden Eagle, um pub de Birmingham, quando foram vistos por Spencer Davis, que estava realizando uma sessão de blues acústico no mesmo local. Davis rapidamente os recrutou e eles formaram a Spencer Davis Group em agosto de 1963. Um ano depois, o grupo conseguiu um contrato com a Island Records, pertencente a Chris Blackwell.
1Stevie Winwood era apenas um adolescente na época, mas foram as suas excelentes performances vocais que deram à Spencer Davis Group seu ingrediente especial. Há rumores de que Stevie teria participado da gravação de um compacto da Anglos, um conjunto de R&B (que pode ter sido americano), mas ninguém sabe ao certo. Ele também gravou, usando o nome Steve Anglo, duas músicas com uma banda de estúdio chamada Powerhouse, reunida por Eric Clapton para uma gravação do selo Elektra de 1966. No início de 1967, ele deixou a Spencer Davis Group para integrar a Traffic, uma das melhores bandas psicodélicas da Grã-Bretanha. Quando a Traffic desintegrou-se pela primeira vez, no início de 1969, ele se incorporou à Blind Faith, um supergrupo de curta duração, que não conseguiu atingir a meta prevista, e após participou brevemente da Ginger Baker's Airforce.
2Em 1970, quando Winwood estava trabalhando num disco solo, intitulado, provisoriamente, de Mad Shadows, Jim Capaldi e Chris Wood ajudaram-no na gravação, e a Traffic retornou como um trio. O álbum acabou sendo lançado com o nome de "John Barleycorn Must Die", e Winwood permaneceu em vários lineups da Traffic até a banda extinguir-se em 1974. A partir daí, ele gravou seis álbuns solos e inúmeros compactos, mas são registros que estão fora da era abarcada nesta obra. Há uma coleção de quatro CDs, "The Finer Things", de 1995, que inclui material de Winwood com as bandas Spencer Davis Group, Traffic e Blind Faith, bem como registros da sua carreira solo.
3Apenas três faixas da coletânea são inéditas, todas da Blind Faith. Há ainda uma versão eletrificada de "Can't Find My Way Home", da Blind Faith, e dois covers retirados do concerto do mesmo grupo no Hyde Park - "Under My Thumb", da Rolling Stones, e "Sleeping In The Ground", de Sam Myers. Alternativamente, "Keep On Running", da gravadora Island, compila alguns dos seus primeiros momentos com a Spencer Davis Group, Traffic e Blind Faith e mais algumas gravações do seu melhor repertório solo. Winwood é sobretudo lembrado como um dos mais importantes cantores brancos de blues da Grã-Bretanha, e suas performances vocais com a Spencer Davis Group ofusca qualquer um dos seus trabalhos nos últimos 25 anos (Vernon Joynson, in The Tapestry of Delights - The Comprehensive Guide to British Music of the Beat, R&B, Psychedelic and Progressive Eras 1963-1976. Borderline Productions, Telford, 2006, p. 1623).

domingo, 27 de julho de 2014

Magic Bubble - Magig Bubble [Bonus Tracks]

Cover
Banda: Magic Bubble
Disco: Magig Bubble [Bonus Tracks]
Ano: 2008(*)
Gênero: Psychedelic Rock
Faixas:
1. I'm Alive (Wade Brown) 2:31
2. Whiskey Fire (Wade Brown) 2:37
 
3. If I Should Ever Love Again (A. McDougall) 3:17
4. Changes (McDougall) 3:28
5. Cry Cry (Wade Brown) 4:35
6. Circles (Lonely Wind) (Wade Brown) 2:44
7. Sunshine Man (McDougall, F. Rondell) 2:38
8. Back To Toronto (Robertson) 2:31
9. Me & Mr. Hohner (Darin) 3:34
10. Summertime (Gershwin) 6:08
11. Ohio Sun [Bonus Track] (Fletcher, Flett) 2:56
12. Who Turned The World Around? [Bonus Track] (English, Kerr) 2:42
Créditos:
Frank Rondell: Vocals, Guitar
Rita Rondell: Vocals, Guitar
Paul Benton: Organ, Piano
Brian Kirkwood: Bass Guitar
Wade Brown: Acoustic Guitar, Electric Guitar
Sonny J. Milne: Drums, Percussion
Ivaan: Pipe
(*) LP lançado originalmente em 1970, com 10 faixas.
Logo Design by FlamingText.com
_____________
Resenha/Biografia:
A Magic Bubble, duo irmão-e-irmã de Hamilton, Ontario, Canadá, desfrutava de incontestável popularidade no cenário boêmio local quando gravou seu único disco, em 1969 - ninguém menos do que o vice-presidente da Associação dos Restaurantes de Ontario endossa o fato, no encarte do CD. A metade feminina do grupo, Rita Rondell, passaria a chamar-se, mais tarde, Rita Chiarelli, tornando-se uma respeitável bluseira, mas o que se vê na maior parte do álbum é genuíno, embora refinado, folk rock, com toques de psicodelia e flertes ocasionais com o hard rock.
FrankFãs posteriores da bluseira Rita ficarão desapontados ao ouvirem a voz do seu irmão na maioria das faixas, porém ela se sai muito bem quando pega o microfone e fecha o disco com uma graciosa e comovente versão de "Summertime", da ópera Porgy And Bess. O estilo vocal de Frank soa um pouco teatral às vezes - o que não deixa de ser ruim -, sobretudo em "Whiskey Fire" e "Changes", mas ele compensa isso com atitude e entusiasmo, e os seus contundentes graves encaixam-se perfeitamente aos teclados de Paul Benton e à guitarra de Wade Brown.
RitaNa maior parte, a banda mostra-se mais competente do que inspirada - algumas canções almejam parecer mais pesadas do que realmente são -, mas os melhores momentos do disco confirmam as palavras da Associação dos Restaurantes de Ontario, e é uma pena que o grupo tenha acabado logo após o lançamento do álbum. A reedição do disco, pela Fallout Records, inclui dois singles não inseridos no LP original (nos quais a banda canta louvores à Ohio, talvez um destino exótico para os habitantes de Hamilton); trata-se, portanto, da coleção completa das músicas gravadas pela dupla (Mark Deming, AllMusic; tradução livre do inglês).

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Richie Havens - Mixed Bag

Front
Músico: Richie Havens
Disco: Mixed Bag
Ano: 1967(*)
Gênero: Folk Rock
Faixas:
1. High Flyin' Bird (Wheeler) 3:35
2. I Can't Make It Anymore (Lightfoot) 2:47
3. Morning, Morning (Kupferberg) 2:17
4. Adam (Havens) 3:34

5. Follow (Merrick) 6:21
6. Three Day Eternity (Havens) 2:15
7. Sandy (Cousineau) 3:11
8. Handsome Johnny (Gossett, Havens) 3:53
9. San Francisco Bay Blues (Fuller) 2:30
10. Just Like A Woman (Dylan) 4:46
11. Eleanor Rigby (Lennon, McCartney) 2:42
Créditos:
Richie Havens: Guitar, Vocals
Paul Harris: Piano, Organ, Electric Piano
Harvey Brooks: Bass
Bill LaVorgna: Drums
Howard Collins: 2nd Guitar
Joe Price: Tabla Drums ("Adam")
Paul William: Acoustic Guitar ("Follow")
(*) CD lançado em 1990.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
Nascido em Bedfor-Stuyvesant, bairro central do Brooklyn, em New York, Richie Havens mudou-se para Greenwich Village, em 1961, a tempo de pegar carona no boom do folk, desencadeado em seguida. Com seu estilo único, Havens aparecia em casas noturnas como a Cafe Wha?. Sua guitarra tinha uma afinação insólita (nota minha: segundo a Wikipedia, em português, a afinação era em ré) e somente o polegar era usado para os acordes (nota minha: ao invés dos outros quatros dedos, como é o normal).
5Dedilhando o instrumento percussivamente e cantando com uma voz rouca, suas apresentações eram hipnotizantes. Havens assinou com a Douglas Records em 1965 e gravou dois discos que lhe renderam admiradores na região. Em 1967, a Verve, divisão da MGM Records, criou um selo folk (Verve Forecast) e contratou Havens e outros artistas do gênero. O resultado, para o cantor, foi o seu terceiro álbum, "Mixed Bag". Houve um certo marasmo, até que, com o lançamento do álbum "Something Else Again", de 1968, Havens começou a chegar às paradas - na verdade, o quarto, o terceiro e o segundo disco do músico entraram nos ranques musicais naquele ano, nessa ordem. Em 1969 chegou o seu disco duplo, "Richard P. Havens, 1983".
1A carreira de Havens beneficiou-se grandemente com a sua apresentação no festival de Woodstock, em 1969, e também com suas subsequentes aparição e participação no filme e no disco, respectivamente, que registraram o concerto, lançados em 1970. Seu primeiro álbum depois dessa exposição, "Alarm Clock", foi Top 30 e produziu um single Top 20 através de "Here Comes The Sun". Essas gravações alavancaram a carreira de Havens, comercialmente, abrindo caminho para que as suas turnês internacionais fossem um sucesso.
6Por volta do final dos anos 70, ele abandonou as gravações e voltou-se inteiramente para as performances ao vivo. Havens retornou aos discos com uma enxurrada de lançamentos em 1987: um álbum novo, "Simple Things"; outro com regravações de canções de Bob Dylan e dos Beatles; e uma coletânea. Em 1991, Havens assinou o seu primeiro contrato com uma grande gravadora após 15 anos, e lançou "Now" pela Sony Music. "Nobody Left To Crown" surgiu pela etiqueta Verve Forecast em 2008. O músico morreu de infarto, em sua casa, localizada em Jersey City, New Jersey, EUA, no dia 22 de abril de 2013; ele tinha 72 anos (William Ruhlmann, AllMusic; tradução livre do inglês).

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Thee Midniters - In Thee Midnite Hour!!!!

Cover
Banda: Thee Midniters
Disco: In Thee Midnite Hour!!!!
Ano: 2006(*)
Gênero: Latin Rock, Garage Rock
Faixas:
1. Whittier Blvd. (Thee Midniters) 2:29
2. Jump, Jive And Harmonize (Marquez, Espinoza, Garcia) 2:27
3. Gloria (Morrison) 3:17
4. Love Special Delivery (Garcia, Espinoza) 2:13
5. I Found A Peanut (Garcia, Espinoza) 2:40
6. Welcome Home Darling (Garcia, LaMont) 2:16
 
7. Land Of A Thousand Dances [Extended Live Version] (Chris Kenner) 5:55
8. Down Whittier Blvd. (Kerr, Torres) 2:20
9. Everybody Needs Somebody To Love (Berns, Burke, Wexler) 2:42
10. Never Knew I Had It So Bad (Garcia, LaMont, Dominguez) 2:34
11. Empty Heart (Jagger, Richars) 2:34
12. Hey Little Girl (Lewis) 2:45
13. Looking Out A Window (Dominguez, Bagliazo, Garcia) 2:57
14. Money (Bradford, Gordy, Jr.) 3:03
15. Thee Midnite Feeling (LaMont, Rendon) 3:08
16. Devil With A Blue Dress (Long, Stevenson)/Good Golly Miss Molly (Blackwell, Marascalco) 3:17
17. Dragon-Fly (LaMont, Marquez, Rendon, Garcia) 3:07
18. Do You Love Me (Gordy, Jr.) 3:07
19. Down Wittier Blvd [Godfrey Vocal] (Kerr, Torres) 2:24
Créditos:
Little Willie G (aka Willie Garcia): Lead Vocals, Trombone, Piano, Harmonica
Jimmy Espinoza: Bass Guitar, Background Vocals
Romeo Prado: Trombone, Background Vocals
Larry Rendon: Saxes, Woodwinds, Keyboards
George Dominguez: Lead Guitar, Mandolin
Roy Marquez: Rhythm Guitar, Background Vocals
Danny LaMont: Drums, Piano
Ronny Figueroa: Organ, Conga
(*) Seleção de singles e músicas dos três discos lançados pela banda nos anos 60.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
Maior banda de rock latino dos anos 60, indiscutivelmente, a Thee Midniters inspirou-se tanto no som da banda Rolling Stones quanto no R&B tradicional capturado em Los Angeles, sua cidade natal. Bastante popular na zona leste de Los Angeles, o grupo, com duas guitarras e metais, produziu um sucesso regional (menor, nacionalmente) com sua impetuosa versão de "Land Of A Thousand Dances", em 1965. Grande parte do repertório da banda baseava-se num potente R&B, ligeiramente punk, se bem que o cantor Willie Garcia derramou um pouco de sofrimento em baladas lentas e sensuais.
2
Da mesma maneira que a Rationals, de Detroit (outro fenômeno local), a Thee Midniters mostrou-se igualmente talentosa em mesclar números inflamados, com ritmos rápidos, e vagarosas músicas românticas. Após alguns discos e uma guinada interessante para questões sociais com o single "Chicano Power", o grupo rachou no início dos anos 70, deixando, porém, um legado absorvido por bandas de rock latino famosas, surgidas na sua esteira, como a Los Lobos (Richie Unterberger, AllMusic; tradução livre do inglês).

quarta-feira, 23 de julho de 2014

T.I.M.E. - Discografia essencial

Banda: T.I.M.E.
Gênero: Blues Rock, Psychedelic Rock
 
Cover 1
Disco: T.I.M.E.
Ano: 1968(*)
Faixas:
1. Tripping Into Sunshine (3:09)
2. Label It Love (2:29)
3. Finder's Keepers (3:13)
4. Love You, Cherish You (2:28)
5. Make It Alright (2:06)
6. Let The Colors Keep On (2:13)
7. You Changed It All (2:31)
8. I Really Love You (2:45)
9. Make Love To You (3:39)
10. I Can't Find It (3:01)
11. What Can It Be (2:22)
12. Take Me Along (3:08)    
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Larry Byron: Guitar, Vocals
Bill Richardson: Guitar, Vocals
Nick St. Nicholas: Bass, Vocals
Steve Rumph: Drums, Vocals
(*) CD lançado em 1996.
Logo Design by FlamingText.com
Cover
Disco: Smooth Ball
Ano: 1969(*)
Faixas:
1. Preparation G (Couchois, Tepp, Richardson, Byrom) 0:52
2. Leavin' My Home (Couchois, Tepp) 3:10
 
3. See Me As I Am (Couchois, Tepp) 5:47
4. I Think You'd Cry (Couchois, Tepp) 4:23
5. I'll Write A Song (Richardson) 4:21
6. Lazy Day Blues (Richardson, Byrom) 1:46
7. Do You Feel It (Couchois, Tepp) 2:30
8. Flowers (Richardson, Byrom) 2:39
9. Morning Come (Richardson, Byrom) 10:02
10. Trust In Men Everywhere (Byrom) 5:01    
Créditos:
Larry Byrom: Guitar, Vocals
Bill Richardson: Guitar, Vocals
Richard Tepp: Bass, Vocals
Pat Couchois: Drums
(*) CD lançado em 1996 e relançado em 2010.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
A T.I.M.E. - acrônimo de Trust In Men Everywhere - foi formada em Los Angeles, California, EUA, em 1967. Os guitarristas Larry Byrom e Bill Richardson eram ex-membros da Hard Times, uma banda pop psicodélica, responsável pelo excelente disco "Blew Mind", de 1966. Nick St. Nicholas (baixo; ex-Sparrow) e Steve Rumph (bateria) completaram o line-up do grupo, que manteve o estilo melódico da Hard Times, mas com uma pegada mais roqueira. St. Nicholas saiu para juntar-se à Steppenwolf logo após a conclusão do álbum (nota minha: o primeiro, homônimo, de 1968). Richard Tepp substituiu-o na gravação de "Smooth Ball", que também introduziu o novo baterista, Pat Couchis (sic).
6Técnicas de phasing (nota minha: segundo a Wikipedia, "phasing é técnica de composição progressiva, popularizado pelo compositor Steve Reich, na qual a mesma peça [uma frase repetitiva] é tocada em dois instrumentos musicais, de forma constante, mas não idênticas. Assim, os dois instrumentos têm uma mudança gradual uníssona, criando primeiro um ligeiro eco um pouco atrás do outro, então a duplicação com cada nota ouvida por duas vezes, em seguida, um efeito complexo de toque, e, eventualmente, voltando pela duplicação e eco em uníssono") acrescentaram ares experimentais ao som da banda, enquanto duas seleções baseadas no blues mostraram a considerável versatilidade do grupo. Nenhum disco obteve sucesso comercial e a breve carreira da T.I.M.E. terminou em tragédia quando Tepp foi assassinado. Byrom, seguindo o caminho de St. Nicholas, aderiu à Steppenwolf em 1970, porém deixou-a para formar, com Couchis (sic), a Ratchell, em 1971. Seguiu-se um disco decepcionante (nota minha: da banda Ratchell), antes de Byrom migrar para a Hoodoo Rhythm Devils (Rovi, AllMusic; tradução livre do inglês).

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Blind Faith - Blind Faith [Deluxe Edition]

Cover
Banda: Blind Faith
Disco: Blind Faith [Deluxe Edition]
Ano: 2001(*)
Gênero: Classic Rock
Faixas:
Disc One
1. Had To Cry Today (Winwood) 8:48
2. Can't Find My Way Home (Winwood) 3:16
3. Well All Right (Petty, Holly, Allison, Mauldin) 4:27
4. Presence Of The Lord (Clapton) 4:50
5. Sea Of Joy (Winwood) 5:22
6. Do What You Like (Baker) 15:20
7. Sleeping In The Ground [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Myers) 2:49

8. Can't Find My Way Home [Electric Version] [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Winwood) 5:40
9. Acoustic Jam [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Blind Faith) 15:50
10. Time Winds [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Winwood) 3:15
11. Sleeping In The Ground [Slow Blues Version] [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Myers) 4:44
Créditos:
Steve Winwood: Organ, Piano, Guitar, Bass, Lead Vocals
Eric Clapton: Guitar, Vocals
Ric Grech: Bass Guitar, Violin, Vocals
Ginger Baker: Drums, Percussion
Disc two
1. Jam Nº 1: Very Long & Good Jam [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Clapton, Winwood, Baker) 14:01
2. Jam Nº 2: Slow Jam #1 [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Clapton, Winwood, Baker) 15:06
3.  Jam Nº 3: Change Of Address Jam [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Clapton, Winwood, Baker) 12:06
4. Jam Nº 4: Slow Jam #2 [Previously Unreleased] [Bonus Track] (Clapton, Winwood, Baker) 16:06
Créditos:
Steve Winwood: Organ, Bass Pedals, Bass
Eric Clapton: Guitar
Ginger Baker: Drums, Percussion
(*) LP originalmente lançado em 1969, com 6 faixas.
Logo Design by FlamingText.com
_______ 
Biografia:
Formada em 1969 e um dos primeiros conjuntos musicais a ganhar o duvidoso rótulo de "supergrupo". A banda compunha-se de Eric Clapton (nome verdadeiro: Eric Patrick Clapp, nascido em 30 de março de 1945, em Ripley, Surrey, Inglaterra; guitarra e vocais) e Ginger Baker (nome verdadeiro: Peter Baker, nascido em 19 de agosto de 1939, em Lewisham, Londres, Inglaterra; bateria), ambos ex-membros da Cream, Steve Winwood (nome verdadeiro: Stephen Lawrence Winwood, nascido em 12 de maio de 1948, em Birmingham, Warwickshire, Inglaterra, teclados, vocais, ex-Traffic) e Ric Grech (nome verdadeiro: Richard Roman Grech, nascido em 1 de novembro de 1946, em Bordeaux, França, e falecido em 16 de março de 1990, em Leicester, Inglaterra; baixo e violino, ex-Family).
3A banda permaneceu unida em torno de um disco amplamente divulgado, que vendeu milhões de cópias, e de uma grande e lucrativa turnê pelos Estados Unidos. Sua estréia aconteceu num concerto pop gratuito, para um público estimado em 100.000 pessoas, no Hyde Park, de Londres, em junho de 1969. A controvertida capa do álbum mostrava uma menina pré-púbere de topless, segurando um fálico modelo de avião prateado. O disco continha apenas um futuro clássico, "Presence Of The Lorde, de Clapton. "Do What You Like", de Baker, era insípida e muito longa e o cover de Buddy Hylly, "Well All Right", beirava a banalidade. Espremida entre as faixas figurava "Can't Find My Way Home", bonita composição de Winwood, que nunca recebeu a atenção que merecia. Posteriormente, as gravações ao vivo da banda puderam ser ouvidas no box set "The Finer Things", de Winwood.
4O relançamento do disco, em 2001, foi um primoroso desfecho do trabalho da Blind Faith. A banda frustrou muitas pessoas porque não se manteve ativa por mais tempo, deixando, assim, de mostrar aos seus fãs todo o seu potencial (nota minha: e esperável, levando em conta o "pedigree" dos seus integrantes). A edição de luxo abrange todas as gravações do grupo, incluindo as longas sessões improvisadas de estúdio, que o captam num ambiente descontraído e espontâneo (The Enclyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 181; tradução livre do inglês).