sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Wool - Wool

Front
Banda: Wool
Disco: Wool
Ano: 1969(*)
Gênero: Psychedelic Rock, Garage Rock, Acid Rock
Faixas:
1. Love, Love, Love, Love, Love (John Hill, Don Cochrane) 3:14
2. Combination Of The Two (S. Andrew) 3:05
3. If They Left Us Alone Now (Ed Wool) 3:35
4. To Kingdom Come (J.R. Robertson) 2:27
5. I Don't Like You Anymore (Ed Wool) 2:55
6. Any Way That You Want Me (Chip Taylor) 4:07
7. It Was Such A Lovely Night (Loving You Tonight) (Ed Wool) 2:20
8. The Boy With The Green Eyes (Neil Diamond) 3:35
 
9. Funky Walk (Lester Christian) 9:40
Créditos:
Ed Wool: Lead Guitar, Vocals
Claudia Wool: Vocals, Percussion
Ed Barrella: Bass
Tom Haskell: Rhythm Guitar, Vocals
Peter Lulis: Drums
(*) CD lançado em 2006.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar

Biografia:
A Wool lançou um obscuro disco homônimo de rock psicodélico, em 1969, dentro dos padrões habituais da época, misturando influências dos gêneros pop, hard rock e soul-funk, tanto no material original quanto nos covers de Neil Diamond, Chip Taylor, The Band e Big Brother & The Holding Company. O guitarrista solo Ed Wool já havia gravado na RCA (integrando a Ed Wood & The Nomads) e na Cameo-Parkway (como membro da Sure Cure) antes de formar, em 1967, a Pineapple Heard, também composta pela vocalista Claudia Wool, sua irmã.
1
Margo Guryan (que décadas mais tarde, como cantora, angariou um fervoroso grupo de admiradores com seus discos revivalistas, construídos com a sonoridade pop alto-astral do final dos anos 60) e David Rosner produziram o LP da Wool para a ABC, após a banda ter assinado contrato com a gravadora e mudado seu nome (nota minha: de Pineapple Heard para Wool) (Richie Unterberger, AllMusic; tradução livre do inglês).

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

The Youngbloods - The Youngbloods [Bonus Tracks]

Front
Banda: The Youngbloods
Disco: The Youngbloods [Bonus Tracks]
Ano: 2014(*)
Gênero: Folk Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Grizzly Bear (Jerry Corbitt) 2:26
2. All Over The World (La La) (Jerry Corbitt) 3:16
3. Statesboro Blues (Blind Willie McTell) 2:22
4. Get Together (William Chester Powers, Jr.) 4:41
5. One Note Man (Paul Arnaldi) 2:27
6. The Other Side Of This Life (Fred Neil) 2:32
7. Tears Are Falling (Jesse Colin Young) 2:29
8. Four In The Morning (George Remailly) 2:56
9. Foolin' Around (The Waltz) (Jesse ColinYoung) 2:55
10. Ain't That Lovin' You (Jimmy Reed) 2:44
11. C.C. Rider (John Hurt) 2:41
12. Get Togheter [Promotional Single Version] [Bonus Track] (William Chester Powers, Jr.) 3:24
13. Merry Go-Around [Bonus Track] (F. Pappalardi, G. Collins) 2:11
14. Se Qualcuno Me Dirà [Get Together Italian Version] [Bonus Track] (William Chester Powers, Jr.) 3:45
15. Qui Con Noi, Tra Di Noi [Grizzly Bear Italian Version] [Bonus Track] (Jerry Corbitt) 2:20
Créditos:
Jesse Colin Young: Bass, Vocals
Jerry Corbitt: Guitar, Vocals
Lowell "Banana" Levinger: Guitar, Electric Piano, Vocals
Joe Bauer: Drums
George Ricci: Cello ("Foolin' Around (The Waltz)")
(*) LP lançado originalmente em 1967.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Biografia:
A Youngbloods era um grupo de folk rock liderado por Jesse Colin Young. Fazia um som jazzístico melodioso, típico da Costa Oeste, com raízes em Boston e New York. Young começou tocando no circuito folk em Greenwich Village, onde encontrou Bobby Scott, compositor, cantor e pianista que já tinha acompanhado Bobby Darin, entre outros. Scott financiou e produziu o disco de estréia de Young, "The Soul Of A City Boy". Concebido em apenas quatro horas, conforme voz corrente, o LP solo de Young, acompanhado apenas de sua guitarra acústica, foi gravado na Capitol em 1964. Ele começou a tocar nos bares de Boston e logo em seguida gravou "Youngblood" para a Mercury, com Scott novamente atuando como produtor, mas desta vez com uma banda de apoio, aí incluído seu amigo John Sebastian.
1Inspirado pelos Beatles, Young decidiu formar um grupo, arregimentando primeiro Jerry Corbitt, músico folk de Massachusetts, e depois adicionando Joe Bauer e Lowell "Banana" Levinger - "Banana", aliás, acabou se revelando o músico mais completo da banda. No início de 1965, a novata Youngbloods já tinha gravado algumas músicas para a Mercury, que no entanto só foram lançadas anos depois do disco "Two Trips". O seu debute oficial foi "The Youngbloods", que incluía os sucessos "Grizzly Bear" e "Get Together", a última composta por Dino Valenti, mais tarde cantor da Quicksilver Messenger Service. No início, "Get Together" fez sucesso apenas regionalmente, só tendo alcançado êxito em âmbito nacional quando foi relançada dois anos mais tarde, em julho de 1969, após ter sido usada num anúncio de campanha de fraternidade veiculado por uma rede de televisão pública. Em 1969, o hit chega ao quinto lugar das paradas e ganha o disco de ouro. Mais tarde, a RCA renomeou o primeiro disco da banda como "Get Together".
2No começo de 1967, o grupo deslocou-se para Marin County, California. Seus dois LPs seguintes foram produzidos em New York por Felix Pappalardi antes da banda ir para o oeste. O terceiro disco, "Elephant Mountain", recebeu a produção de Charlie Daniels. Corbitt deixou a banda durante a gravação de "Elephant Mountain", e a Youngbloods permaneceu como um trio, assinando contrato com a Warner Brothers, que lhe ofereceu um selo próprio, chamado Racoon, em 1970. A RCA, então, começou a desencavar seus antigos trabalhos, incluindo um "the best" daquele ano, e relançando também, pela terceira vez, "Darkness, Darkness", saído anteriormente em agosto de 1968 e março de 1969.
4Os dois primeiros álbuns da Youngbloods para a Warner/Racoon foram gravações ao vivo - "Rock Festival" e "Ride The Wind". No início de 1971, o grupo agregou o baixista Michael Kane, liberando Young para tocar exclusivamente guitarra. A banda ainda lançou mais dois LPs - "Godd And Dusty" e "High On A Ridge Top" - antes de se dispersar em 1972. Bauer e Banana fizeram discos solos; Corbitt tinha dois já preparados, mas não lançou nenhum. Bauer, Banana e Kane uniram-se brevemente para formar a banda Noggins, que chegou a gravar um LP, "Crab Tunes", para a Racoon, em 1972. Banana também gravou como "Banana And The Bunch"; trabalhou com Mimi Fariña e foi professor de asa-delta. Bauer morreu de câncer no cérebro em 1982.
5Young foi o único músico a fazer uma carreira de sucesso. "Together" tem o mesmo som arejado da Youngbloods, destacando-se novamente a voz límpida e maleável de Young. Integrantes sobreviventes da Youngbloods, Banana, Corbitt e Young reuniram-se primeiramente em 1984-85 para excursionar. Young continuou a se apresentar e gravar, ocasionalmente, com seus velhos companheiros. Ele atualmente reside no Hawaii, onde planta e vende o afamado café orgânico Kona (The Rolling Stone Encyclopedia of Rock & Roll. Ed. by Holly George-Warren and Patricia Romanowski. Fireside. New York, 2001, p. 1101; tradução livre do inglês).

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Jesse Davis - ¡Jesse Davis!

Cover
Músico: Jesse Davis
Disco: ¡Jesse Davis!
Ano: 1970(*)
Gênero: Blues Rock, Country Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Reno Street Incident (Jesse Davis) 4:12
2. Tulsa County (Pamela Polland) 2:21
 
3. Washita Love Child (Jesse Davis) 3:49
4. Every Night Is Saturday Night (Jesse Davis) 7:14
5. You Belladonna You (Jesse Davis) 6:29
6. Rock N Roll Gypsies (Roger Tillison) 4:14
7. Golden Sun Goddess (Jesse Davis) 4:50
8. Crazy Love (Van Morrison) 3:43
Créditos:
Jesse Edwin Davis, III: Guitar, Keyboards, Vocals
Eric Clapton, Joel Scott Hill: Guitar
Larry Knechtel, Larry Pierce, Leon Russell, Ben Sidran, John Simon:  Keyboards
Billy Rich, Steve Thompson: Bass
Chuck "Brother" Blackwell, Steve Mitchell, Bruce Rowland, Alan White: Drums
Pat Daley, Sandy Konikoff, Jackie Lomax, Pete "Big Boy" Waddington, Johnnie Ware, Alan Yoshida: Percussion
James Gordon: Baritone Sax, Clarinet
Jerry Jumonville: Tenor Sax Solo
Darrell Leonard: Trombone, Trumpet
Frank Mayes: Tenor Sax
Nikki Barclay, "The Magnificent" Merry Clayton, Vanetta Fields, Bobby Jones,
Gloria Jones, Clydie King, Gram Parsons, Maxine Willard: Vocal  Accompanist
(*) CD lançado em 1989.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Biografia:
Nascido em 21 de setembro de 1944, em Oklahoma, EUA, e morto em 22 de junho de 1988, em Venice, California, EUA, o guitarrista Jesse "Ed" Davis foi um dos vários músicos radicados em Los Angeles atraídos por um coletivo  liderado por Junior Markham e conhecido como Tulsa All-Stars. O grupo foi o embrião da Flying Burrito Brothers, a empreitada country pós-Byrds levada a cabo por Gram Parsons e Chris Hillman ao término dos anos 60. Davis, entretanto, logo juntou-se a Taj Mahal, acompanhando-o em seus três primeiros discos e em apresentações ao vivo.
4Depois o artista tornou-se músico de estúdio, tendo participado, no começo do seu trabalho profissional, do disco "All Things Must Pass", de George Harrison, lançado em 1970. Ainda em 1970, Davis completou seu primeiro álbum solo, homônimo, e as colaborações de Eric Clapton e Leon Russell afiançaram a qualidade do registro, notabilizado pela interpretação de "Crazy Love", de Van Morrison. Seguiram-se dois igualmente qualificados discos, mas Davis decidiu suspender sua carreira em troca de aparições em discos alheios.
5A habilidade do guitarrista vitaminou "White Light" (1971) e "No Other" (1974), de Gene Clark, "For Everyman" (1973), de Jackson Browne, "Walls And Bridges" (1974), de John Lennon, e "Atlantic Crossing" (1975), de Rod Stewart, sem falar nas suas contribuições em lançamentos de Steve Miller, B.B. King, Albert King e Ringo Starr. Em 1985, Davis formou a Graffiti Man Band, com John Trudell, mas morreu três anos mais tarde, supostamente por overdose de heroína (The Enclyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 398; tradução livre do inglês).

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Lee Michaels - Barrel

Cover
Músico: Lee Michaels
Disco: Barrel
Ano: 1970(*)
Gênero: Folk Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. Mad Dog (Michaels) 3:45
2. What Now America (Michaels) 3:25
3. Uummmm My Lady (Michaels) 3:01
4. Thumbs (Michaels) 4:06
5. When Johnny Comes Marching Home (Traditional; adapted Michaels) 2:03
6. Murder In My Heart (For The Judge) (Stevenson) 3:37
7. Day Of Change (Michaels) 3:34
8. Think I'll Cry (Michaels) 2:43
9. Games (Michaels) 3:11
10. Didn't Know What I Had (Michaels) 3:15
11. As Long As I Can (Michaels) 1:26
Créditos:
Lee Michaels: Keyboards, Guitar, Bass, Vocals
Drake Levin: Guitar
Frosty: Drums
(*) CD lançado em 1996.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Biografia:
Lee Michaels (nome verdadeiro: Michael Olsen, nascido em 24 de novembro de 1945, em Los Angeles, California) tocava órgão Hammond, piano e guitarra (além de cantar), e ficou mais conhecido por seu sucesso "Do You Know What I Mean", Top 10 de 1971.
5Michaels começou sua carreira com o Sentinals, grupo de surf music, sediado em San Luis Obispo, California, que incluía o baterista John Barbata (depois membro da Turtles, Jefferson Airplane e Jefferson Starhip). Michaels juntou-se a Barbata na Strangers, banda liderada por Joel Scott Hill, antes de se mudar para San Francisco. Lá ele integrou uma primeira versão da Family Tree, banda capitaneada por Bob Segarini. Em 1967, ele assinou contrato com a A&M Records, lançando seu disco de estréia, "Carnival Of Life", no final daquele ano. Como músico de estúdio, tocou com Jimi Hendrix, entre outros.
2A escolha do órgão Hammond, por Michaels, como o seu principal instrumento, era incomum para a época, assim como o seu despojado acompanhamento no palco e no estúdio: geralmente apenas um baterista, na maioria das vezes o músico conhecido como "Frosty" (Bartholomew Eugene Smith Frost), membro da banda Sweathog, ou Joel Larson, da Grass Roots.
9Essa abordagem heterodoxa atraiu admiradores em São Francisco e alguns elogios da crítica, mas Michaels não obteve sucesso comercial até o lançamento do seu quinto disco ("Fifth"), que gerou o surpreendente hit "Do You Know What I Mean", Top 10 nas paradas americadas (6º lugar no outono de 1971), além da versão de "Can I Get A Witness", um clássico da Motown, que chegou ao Top 40. Michaels gravou mais dois álbuns para a A&M antes de ser contratado pela Columbia Records, em 1973. Porém, seus discos pela nova gravadora não despertaram muito interesse e ele se retirou do mundo da música perto do final dos anos 70 (Wikipedia; tradução livre do inglês).

sábado, 25 de outubro de 2014

Clancy - Seriously Speaking

Cover
Banda: Clancy
Disco: Seriously Speaking
Ano: 1975(*)
Gênero: Jazz Rock, Progressive Rock, Classic Rock
Faixas:
1. Back On Love (Skinner) 3:40
2. Lose Me (Skinner) 5:16
3. Body To Body (Bass) 5:54
4. Stealaway (Graham) 4:37
5. Sign Of The Times (Bass) 3:10
 
6. Southern Boogie (Skinner) 3:27
7. Money (Bass) 3:23
8. Long Time Coming (Graham) 3:20
9. Move On (Skinner) 6:21
10. Eat Gook (Bass, Vasco) 3:43
Créditos:
Colin Bass: Bass, Vocals (faixas 5, 7, 10)
Barry Ford: Drums, Vocals (faixa 3)
Dave Vasco: Guitar
Ernie Graham: Rhythm Guitar, Vocals (faixas 4, 8)
Dave Skinner: Keyboards, Synthesizer, Vocals (faixas 1, 2, 6, 9)
Gaspar Lawal: Percussion
(*) CD lançado em 2004.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Biografia:
Formada em Londres, Inglaterra, em 1975, a Clancy era composta por Dave Skinner (teclados e vocais), Ernie Graham (guitarra e vocais), Dave Vasco (guitarra e vocais), Jim Cuomo (saxofone), Sam Mitchell (dobro), Colin Bass (baixo e vocais), Barry Ford (bateria e vocais) e Gaspar Lawal (percussão). Skinner já angariara fama como músico de estúdio, trabalhando com Bryan Ferry, entre outros artistas, além de ter integrado a Uncle Dog. Ernie Graham pertencera às bandas Eire Apparent e Help Yourself e havia gravado um disco solo em 1971.
5No currículo de Gaspar Lawal constava trabalhos com Graham Bond, Joan Armatrading, Stephen Stills e Viv Stanshall. A Clancy rapidamente tornou-se popular por conta de suas apresentações ao vivo, misturando habilidade instrumental com a atmosfera calma e relaxante dos grupos contemporâneos Kokomo e Bees Make Honey, este o preferido dos roqueiros boêmios. A banda conseguiu um contrato com a Warner Brothers Records, mas, infelizmente, os dois discos que gravou para o selo não conseguiram recriar o clima das suas performances no palco. A separação ocorreu em 1976. Na sequência, Skinner e Lawal retomaram suas atividades de músicos de estúdio, ao passo que Graham tocou com Nick Lowe (AllMusic; tradução livre do inglês).

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

The Paul Butterfield Blues Band - The Paul Butterfield Blues Band

Cover
Banda: The Paul Butterfield Blues Band
Disco: The Paul Butterfield Blues Band
Ano: 1965(*)
Gênero: Blues, Blues Rock, Electric Blues
Faixas:
1. Born In Chicago (Gravenites) 2:55
 
2. Shake Your Money-Maker (James, adapted Butterfield) 2:27
3. Blues With A Feeling (W. Jacobs) 4:20
4. Thank You Mr. Poobah (Butterfield, Bloomfield, Naftalin) 4:05
5. I Got My Mojo Working (Morganfield) 3:30
6. Mellow Down Easy (W. Dixon) 3:40
7. Screamin' (Bloomfield) 4:30
8. Our Love Is Drifting (Bishop, Butterfield) 3:25
9. Mystery Train (Parker) 2:45
10. Last Night (W. Jacobs) 4:15
11. Look Over Yonders Wall (J. Clark) 2:23
Créditos:
Paul Butterfield: Vocals, Harmonica
Mike Bloomfield: Slide Guitar
Elvin Bishop: Rhythm Guitar
Jerome Arnold: Bass
Sam Lay: Drums, Vocals ("I Got My Mojo Working")
Mark Naftalin: Organ
(*) CD lançado em 2014.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar
Biografia:
Paul Butterfield, um cantor branco e tocador de gaita-de-boca, que aprendeu sua arte com bluseiros negros, ajudou a impulsionar o ressurgimento do blues norte-americano dos anos 60. O adolescente Butterfield se aventurou em bares do sul de Chicago, trabalhando eventualmente em jams ao vivo com Howlin' Wolf, Buddy Guy, Otis Rush, Little Walter, Magic Sam e outras lendas do blues. Butterfield tocou com Elvin Bishop, seu colega da Universidade de Chicago, em bandas de bar chamadas Salt And Pepper Shakers e South Side Olympic Blues Team.
15Em 1963 ele formou a Paul Butterfield Blues Band, com dois ex-integrantes da banda de Howlin' Wolf, Jerome Arnold e Sam Lay, acrescentando mais tarde Bishop, Mark Naftalin e o guitarrista solo Mike Bloomfield. O grupo construiu um forte grupo de admiradores na região, e seu álbum de estréia foi lançado em 1965. No Newport Folk Festival daquele ano, depois de apresentar-se, a banda de Butterfield serviu de apoio a Bob Dylan na sua primeira e controversa performance eletrificada. O disco “East-West” mostrou prolongadas jams, além de revelar influências do jazz e da música indiana. Em seguida, Bloomfield deixou a banda para formar a Electric Flag; Bishop assumiu a guitarra solo.
17Em 1967, Butterfield começou a primeira de muitas experiências, adicionando uma seção de metais à banda (incluindo David Sanborn no saxofone alto) e alterando sua orientação musical, do blues para R&B. Ele tocou no álbum de Muddy Waters de 1969, “Fathers And Sons”, e, em 1972, dissolveu a Blues Band, mudando-se para Woodstock, New York. Lá ele formou a Butterfield's Better Days, com Amos Garrett, Geoff Muldaur e Ronnie Barron.
Butterfield fez uma aparição no concerto da The Band, “Last Waltz”, em 1976, e, no final dos anos 70, ele excursionou com a Levon Helm's RCO All Stars e com a Danko-Butterfield Band, dos ex-integrantes da The Band, Levon Helm (bateria) e Rick Danko (baixista), respectivamente. No começo de 1980, durante a gravação de “Nort-South” em Memphis, Butterfield teve o intestino perfurado e peritonite, enfermidades que o obrigaram a se submeter a três graves cirurgias ao longo dos anos posteriores. O último disco de Butterfield, “The Legendary Paul Butterfield Rides Again”, saiu em 1986, um ano antes de o músico de 44 anos, um alcoólatra, ser encontrado morto em seu apartamento (Holly George-Warren e Patricia Romanowski, in The Rolling Stone Encyclopedia of Rock & Roll. New York, Fireside, 2001, p. 135; tradução livre do inglês).

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Cochise - Cochise [Bonus Track]

Cover
Banda: Cochise
Disco: Cochise [Bonus Track]
Ano: 2002(*)
Gênero: Blues Rock, Country Rock
Faixas:
1. Velvet Mountain (Grabham) 3:28
2. China (Grabham) 3:57
3. Trafalgar Day (Cole) 5:10
4. Moment And The End (Cole) 6:00
5. Watch This Space (Brown) 3:58
6. 59th Street Bridge Song (Feelin' Groovy) (Simon) 3:41
 
7. Past Loves (Brown) 3:40
8. Painted Lady (Grabham) 7:06
9. Black Is The Colour [Bonus Track] (Traditional) 0:56
Créditos:
B. J. Cole: Pedal Steel Guitar, Dobro, Cello
Mick Grabham: Lead & Acoustic Guitars, Piano, Organ, Vocals
John Wilson: Drums, Percussion, Vocals
Stewart Brown: Lead Vocals, Acoustic Guitar
Ricky Willis: Bass Guitar, Vocals
(*) LP lançado originalmente em 1970.
http://www.filefactory.com/file/76c86ceywxa7/STECROPWALHFMF.rar

Resenha:
Havia uma porção de talentos envolvidos na realização do primeiro disco da Cochise. O guitarrista Mick Grabham tocaria na Procol Harum; o baixista Rick Wills iria para a Foreigner; B. J. Cole tangeria as cordas da sua pedal steel em muitas gravações ao longo das décadas seguintes; o baterista Willie Wilson trabalharia com a Pink Floyd; Dick Taylor, que tinha acabado de deixar a Pretty Things, produziu o álbum; e Storm Thorgerson, da Hipgnosis (famosa por ilustrar capas de discos da Pink Floyd), projetou uma impressionante e, para a época, ousada capa que mostrava, sem adornos, os seios de uma mulher.
1Os créditos, mesmo com bons currículos por trás, nem sempre garantem a excelência de um disco.  "Cochise" é um daqueles álbuns sessentistas-pré-setentistas que fica no meio termo entre a diversidade musical e a desorientação. Estampa rock britânico dos anos 70, porém superficialmente temperado por pitadas country acima do normal, graças à pedal steel de Cole. Mesmo assim, não se caracteriza como country rock, e algumas das canções realmente nada têm a ver com o gênero.
4Músicas como "Painted Lady" e "Moment and the End" são vigorosas, beirando o hard rock; a última, na verdade (e a sonoridade de outras também, como "Velvet Mountain") parece saída de um LP da Guess Who do final-dos-anos-60-início-dos-anos-70.
Há uma sensação de melancolia pastoral promissora em boa parte do disco, que acaba prejudicada, porém, pelo desnecessário e prosaico cover, em ritmo pesado, de "59th Street Bridge Song", da dupla Simon & Garfunkel