quarta-feira, 16 de abril de 2014

Johnny Rivers & His L.A. Boogie Band - Last Boogie In Paris (The Complete Concert)

Cover CD
Banda: Johnny Rivers & His L.A. Boogie Band
Disco: Last Boogie In Paris (The Complete Concert)
Ano: 2007(*)
Gênero: Blues Rock, R&B, Classic Rock
Faixas:
1. Sea Cruise (Ford, Smith) 3:17
2. Over The Line (Omartian, Dahlstrom) 4:00
3. Barefootin' (Parker) 3:33
4. Summer Rain (Hendricks) 3:50
5. Long Tall Sally (Johnson, Penniman, Blackwell) 3:24
6. It's Alright [Bonus Track] (Mayfield) 3:10
7. Brown Eyed Girl [Bonus Track] (Morrison) 3:58
8. Knock On Wood [Bonus Track] (Cropper, Floyd) 3:08
9. Rockin' Pneumonia And The Boogie Woogie Flu [Bonus Track] (Smith, Vincent) 3:20

10. I've Just Seen A Face [Bonus Track] (Lennon, McCartney) 2:33
11. Stories To A Child [Bonus Track] (Rivers) 3:26
12. Willie And The Hand Jive [Bonus Track] (Otis) 4:28
13. Memphis [Bonus Track] (Berry) 3:06
14. Blue Suede Shoes [Bonus Track] (Perkins) 2:47
15. Baby, I Need Your Lovin' [Bonus Track] (Dozier, Holland) 2:51
16. Walkin' Blues (Griffin) 5:14
17. Take Me In Your Arms (Rock Me a Little While) (Holland, Dozier, Holland) 4:16
18. John Lee Hooker '74 (Rivers) 10:40
Créditos:
Johnny Rivers: Rhythm Guitar, Vocals
Herb Pedersen: Acoustic Guitar, Harmony Vocals
Jack Conrad: Bass
Jim Gordon: Drums
Chuck Findley: Flugelhorn, Trumpet
Dean Parks: Lead Guitar
Michael Melvoin: Organ, Piano
Jim Horn: Tenor Sax
(*) LP lançado originalmente em 1974, com 8 faixas. Gravado ao vivo no Olympia Theater, Paris, França, em 23 de maio de 1973.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
A biografia do músico, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).
Nome verdadeiro: John Henry Ramistella. Nascido em 7 de novembro de 1942, em New York City, New York, EUA, Rivers enfileirou sucessivos hits nos anos 60 e 70, inicialmente através de regravações de antigas músicas de R&B e, também, eventualmente, com composições de sua própria autoria. Seus singles eram criações joviais, alguns gravados ao vivo defronte a um público entusiasmado e vibrante de Los Angeles.
3A família do cantor mudou-se para Baton Rouge, Louisiana, em 1945, e ali, com 8 anos, ele começou a tocar violão. Com 13 anos, encantado com os artistas locais de rock-and-roll e R&B, ele montou sua própria banda. E, nos idos de 1958, resolveu aventurar-se em New York, buscando gravar algo. Alan Freed, famoso disc jockey, conheceu o cantor, sugeriu-lhe adotar o nome artístico de Johnny Rivers e aconselhou a gravadora local Gone Records a contratá-lo. Isso aconteceu, e o primeiro single, "Baby, Come Back", saiu no mesmo ano. Aos 17 anos, após fixar-se em Nashville, Rivers começou a compor com outro aspirante a cantor, Roger Miller, enviando as demos para Elvis Presley, Johnny Cash e outros artistas, inclusive Ricky Nelson, que gravou, em 1960, "Make Believe", do noviço compositor. Naquela época, Rivers já rumara para Los Angeles. Entre 1959 e 1964, ano em que assinou com a Imperial Records, ele gravou singles para pequenos – Guyden, Cub e Dee Dee – e grandes – Chancellor, Capitol Records, MGM Records, Coral Records e United Artists Records – selos, mas não logrou colocar nenhuma música nas paradas.
2No final de 1963, Rivers conseguiu uma curta temporada – três noites – na boate Gazzari, de Los Angeles, mas os shows foram tão bem-sucedidos que a programação estendeu-se por várias semanas. Dali ele pulou para o palco da discoteca Whisky a Go Go, na condição de artista principal, angariando admiradores estelares do show business: Johnny Carson, Steve McQueen e Rita Hayworth. Seu primeiro disco pela Imperial, "At The Whisky A Go Go", surgiu no verão de 1964 e rendeu o primeiro sucesso, "Memphis", canção de Chuck Berry, que alcançou o 2º lugar nas paradas americanas. Outros hits no período 1964-65: "Maybellene", de Berry, "Mountain Of Love", de Harold Dorman, "Midnight Special", uma tradicional canção folk, "Seventh Son", de Willie Dixon, e "Where Have All The Flowers Gone", de Pete Seeger, todos entusiastica e desprendidamente interpretados por Rivers, com sua voz anasalada, sua concisa e expressiva maneira de tocar guitarra e afiados músicos de apoio. Indiscutivelmente harmoniosas, as faixas mereceram a produção de Lou Adler, àquela altura já trilhando o caminho para tornar-se um dos maiores fabricantes de sucessos da cidade.
4Rivers começou 1966 com "Secret Agent Man", música-tema de uma popular série televisiva de espionagem. Mais tarde, naquele ano, ele conseguiu, pela primeira vez, atingir o 1º lugar nas paradas com uma composição sua (em parceria com Adler), "Poor Side Of Town", uma balada atípica, em que obteve o apoio dos fantásticos músicos de estúdio Hal Blaine, James Burton e Larry Knechtal, entre outros. Ainda em 1966, Rivers fundou sua própria etiqueta – Soul City –, e trouxe para o cast da gravadora o popular conjunto 5th Dimension, que colocou quatro singles nas paradas com discos gravados pelo novo selo. Restaurando a atmosfera descontraída das suas primeiras gravações para a Imperial, Rivers emplacou dois sucessos em 1967, com covers da Motown Records: "Baby I Need Your Lovin", da Four Tops, e "The Tracks Of My Tears", de Smokey Robinson. Após uma aparição no Monterey Pop Festival, outra comovente balada, "Summer Rain", composta por James Hendricks, forneceu a Rivers seu último grande sucesso na década de 60. A canção também apareceu na best-seller "Realization", uma coletânea pop/psicodélica do cantor.
5"Slim Slo Slider", "Home Grown" e "L.A. Reggae", álbuns lançados no inícios dos anos 70, receberam elogios, mas, comercialmente, naufragaram, muito embora um single do último disco, "Rockin' Pneumonia And The Boogie Woogie Flu", de Huey "Piano" Smith, tenha alcançado o Top 10. "Help Me Rhonda", uma versão da música dos Beach Boys (com vocal de apoio de Brian Wilson) fez relativo sucesso em 1975. Dois anos mais tarde, Rivers conquistou seu derradeiro Top 10, com o single "Swayin' To The Music (Slow Dancin')". O vocalista gravou uma porção de discos nos anos 80, inclusive um ao vivo com antigos sucessos. Também reativou o selo Soul City no final dos anos 90 para o lançamento de "Last Train To Memphis", estupendo novo disco de estúdio. Seguiram-se outros álbuns, pela sua gravadora, no início dos anos 2000.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Edgar Broughton Band - Sing Brother Sing [Bonus Tracks]

Cover
Banda: Edgar Broughton Band
Disco: Sing Brother Sing [Bonus Tracks]
Ano: 2004(*)
Gênero: Blues Rock, Hard Rock, Psychedelic Rock
Faixas:
1. There's No Vibrations, But Wait! (R. Broughton) 4:13
2. The Moth: a) The Moth (R. Broughton); b) People (R. Broughton, Grant, S. Broughton); c) Peter (R. Broughton) 5:14
3. Momma's Reward (Keep Them Freak's A Rollin') (R. Broughton) 3:05
4. Refugee (R. Broughton) 3:39
5. Officer Dan (S. Broughton) 1:38
6. Old Gopher (S. Broughton) 3:53
7. Aphrodite (R. Broughton) 4:06

8. Granma (R. Broughton) 2:27
9. Psychopath: a) The Psychopath (R. Broughton, Grant, S. Broughton); b) Is For Butterflies (R. Broughton, Grant, S. Broughton) 6:51
10. It's Falling Away (R. Broughton) 5:34
11. Out Demons Out [Single A-Side] [Bonus Track] (R. Broughton, Grant, S. Broughton) 4:48
12. Rag Doll [Previously Unreleased] [Bonus Track] (R. Broughton, Grant, S. Broughton) 5:31
13. There's No Vibrations, But Wait! [Alternate Version Previously Unreleased] [Bonus Track] (R. Broughton) 4:15
14. The Locket [Previously Unreleased] [Bonus Track] (R. Broughton) 6:00
15. We've Got The Power [Previously Unreleased] [Bonus Track] (R. Broughton, Grant, S. Broughton) 6:30
16. Up Yours [Single A-Side] [Bonus Track] (R. Broughton) 3:01
17. Freedom [Single B-Side] [Bonus Track] (R. Broughton) 3:13
18. Apache Dropout [Previously Unreleased Peter Jenner Version] [Bonus Track] (Van Vliet, Lordan) 3:02
Créditos:
Rob "Edgar" Broughton: Guitar, Vocals
Steve Broughton: Drums
Arthur Grant: Bass, Vocals
(*) LP lançado originalmente em 1970.
Logo Design by FlamingText.com 
_______
Biografia:
SingsA biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Wasa Wasa [Bonus Tracks]", de 2004.

domingo, 13 de abril de 2014

Grateful Dead - Live/Dead [Bonus Tracks]

Cover
Banda: Grateful Dead
Disco: Live/Dead [Bonus Tracks]
Ano: 2003(*)
Gênero: Psychedelic Rock, Jam Bands
Faixas:
1. Dark Star [Recorded live at Fillmore West, San Francisco, CA, Feb 17, 1969] (Jerry Garcia, Mickey Hart, Bill Kreutzmann, Phil Lesh, Ron McKernan, Bob Weir, Robert Hunter) 23:18
2. St. Stephen [Recorded live at Fillmore West, San Francisco, CA, Feb 17, 1969] (Jerry Garcia, Phil Lesh, Robert Hunter) 6:31

3. The Eleven [Recorded live at Avalon Ballroom, San Francisco, CA, Jan 26, 1969] (Phil Lesh, Robert Hunter) 9:18
4. Turn On Your Love Light [Recorded live at Avalon Ballroom, San Francisco, CA, Jan 26, 1969] (Joseph Scott, Deadric Malone) 15:05
5. Death Don't Have No Mercy [Recorded live at Fillmore West, San Francisco, CA, Mar 2, 1969] (Gary Davis) 10:28
6. Feedback [Recorded live at Fillmore West, San Francisco, CA, Mar 2, 1969] (Tom Constanten, Jerry Garcia, Mickey Hart, Bill Kreutzmann, Phil Lesh, Ron McKernan, Bob Weir) 7:49
7. And We Bid You Goodnight [Recorded live at Fillmore West, San Francisco, CA, Mar 2, 1969] (Traditional, arranged by Tom Constanten, Jerry Garcia, Mickey Hart, Bill Kreutzmann, Phil Lesh, Ron McKernan, Bob Weir) 3:13
8. Dark Star [Studio Version] [Bonus Track] (Jerry Garcia, Mickey Hart, Bill Kreutzmann, Phil Lesh, Ron McKernan, Bob Weir, Robert Hunter) 2:44
9. WB Commercial For Live/Dead (1:00)
Créditos:
Jerry Garcia: Guitar, Vocals
Phil Lesh: Bass, Vocals
Bob Weir: Guitar, Vocals
Mickey Hart: Percussion
Bill Kreutzmann: Percussion
Tom Tonstanten (T.C.): Keyboards
Ron "Pigpen" McKernan: Vocals, Congas, Organ ("Death Don't Have No Mercy")
P
_______
Biografia:
4 A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Rare Cuts & Oddities 1966", de 2005.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Various Artists - Woodstock: Three Days Of Peace & Music - The 25th Anniversary Collection

Cover
Músicos: Various Artists
Disco: Woodstock: Three Days Of Peace & Music - The 25th Anniversary Collection
Ano: 1994
Gênero: Classic Rock
Faixas:

Front
Disc: 1
1. Handsome Johnny (Richie Havens): Richie Havens (5:47)
2. Freedom (Richie Havens): Richie Havens (6:23)
3. The "Fish" Cheer/I-Feel-Like-I'm-Fixin'-To-Die Rag (Country Joe McDonald): Country Joe McDonald (4:53)
4. Rainbows All Over Your Blues (John B. Sebastian): John B. Sebastian (3:11)
5. I Had A Dream (John B. Sebastian): John B. Sebastian (2:36)
6. If I Were A Carpenter (Tim Hardin): Tim Hardin (2:52)
7. Beautiful People (Melanie Safka): Melanie (4:05)
8. Coming Into Los Angeles (Arlo Guthrie): Arlo Guthrie (2:24)

9. Walking Down The Line (Bob Dylan): Arlo Guthrie (5:10)
10. Joe Hill (Earl Robinson, Alfred Hayes): Joan Baez (3:42)
11. Sweet Sir Galahad (Joan Baez): Joan Baez (4:08)
12. Drug Store Truck Drivin' Man (James Roger McGuinn, Gram Parsons): Joan Baez (Featuring Jeffrey Shurtleff) (3:38)
13. Soul Sacrifice (Carlos Santana, Gregg Rolie, Jose Areas, Mike Carabello, David Brown, Michael Shrieve): Santana (11:47)
14. Blood Of The Sun (Leslie West, Felix Pappalardi, Gail Collins): Mountain (3:30)
15. Theme For An Imaginary Western (Jack Bruce, Pete Brown): Mountain (5:26)
Logo Design by FlamingText.com
Front
Disc: 2
1. Leaving This Town (Adolpho Fito De La Parra, Harvey Mandel, Larry Taylor): Canned Heat (7:56)
2. Going Up The Country (Alan Wilson): Canned Heat (4:14)
3. Commotion (John Fogerty): Creedence Clearwater Revival (2:50)
4. Green River (John Fogerty): Creedence Clearwater Revival (3:06)

5. Ninety-Nine And A Half (Won't Do) (Wilson Pickett, Steven Cropper, Eddie Floyd): Creedence Clearwater Revival (3:41)
6. I Put A Spell On You (Screamin' Jay Hawkins): Creedence Clearwater Revival (4:34)
7. Try (J. Ragovoy, C. Taylor): Janis Joplin (4:27)
8. Work Me Lord (Traditional): Janis Joplin (7:52)
9. Ball & Chain (Big Mama Thornton): Janis Joplin (5:39)
10. Medley: Dance To The Music/Music Lover/I Want To Take You Higher (Sylvester Stewart): Sly & The Family Stone (12:28)
11. We're Not Gonna Take It [From "Tommy"] (Pete Towmshend): The Who (6:02)
Logo Design by FlamingText.com
Front
Disc: 3
1. Volunteers (Paul Kantner, Marty Balin): Jefferson Airplane (3:07)
2. Somebody To Love (Grace Slick): Jefferson Airplane (4:36)
3. Saturday Afternoon/Won't You Try (Paul Kantner): Jefferson Airplane (5:05)
4. Uncle Sam Blues (Jorma Kaukonen): Jefferson Airplane (6:09)
5. White Rabbit (Grace Slick): Jefferson Airplane (2:53)
6. Let's Go Get Stoned (Ashford, Simpson): Joe Cocker (5:41)
7. With A Little Help From My Friends (John Lennon, Paul McCartney): Joe Cocker (7:56)
8. Rock & Soul Music (Country Joe McDonald, Barry Melton, Chicken Hirsch, Bruce Barthol, Dave Cohen): Country Joe & The Fish (2:41)

9. I'm Going Home (Alvin Lee): Ten Years After (12:02)
10. Long Black Veil (Wilkin, Dill): The Band (3:11)
11. Loving You Is Sweeter Than Ever (Wonder, Hunter): The Band (5:04)
12. The Weight (Robbie Robertson): The Band (4:47)
13. Mean Town Blues (Johnny Winter): Johnny Winter (4:56)
Logo Design by FlamingText.com
Front
Disc: 4
1. Suite: Judy Blue Eyes (Stephen Stills): Crosby, Stills & Nash (9:00)
2. Guinnevere (David Crosby): Crosby, Stills, Nash & Young (5:29)
3. Marrakesh Express (Graham Nash): Crosby, Stills, Nash & Young (2:33)
4. 4 + 20 (Stephen Stills): Crosby, Stills, Nash & Young (2:42)
5. Sea Of Madness (Neil Young): Crosby, Stills, Nash & Young (3:33)

6. Find The Cost Of Freedom (Stephen Stills): Crosby, Stills, & Nash (3:11)
7. Love March (Gene Dinwiddie, Philip Wilson): Paul Butterfeild Blues Band (9:43)
8. At The Hop (A. Singer, J. Medora, P. White): Sha Na Na (3:12)
9. Voodoo Chile (Slight Return)/Stepping Stone (Jimi Hendrix): Jimi Hendrix (12:19)
10. Star Spangled Banner (Traditional): Jimi Hendrix (3:43)
11. Purple Haze (Jimi Hendrix): Jimi Hendrix (3:50)
Logo Design by FlamingText.com
_________
Retrospecto:
Nos dias 15, 16 e 17 de agosto de 1969, apenas um mês depois da famosa aterrissagem da Apollo 11 na Lua, o mundo testemunhou outro passo gigante. Dessa vez foi o festival Woodstock, no estado de Nova Iorque. Aproximadamente 500 mil pessoas convergiram para uma pequena cidade para escutar três dias de música. O fato de tantas pessoas virem de tão longe em nome da música nos diz algo sobre a experiência humana daquela época, embora o que é dito não esteja totalmente claro.
3Mesmo que provavelmente não tenha participado dele, você deve ter ouvido falar sobre o evento conhecido como Woodstock. Você deve ter ouvido que houve sexo, drogas e rock'n roll, ou talvez que houve problemas com comida, limpeza, estacionamento, trânsito e até com água potável. Você possivelmente ouviu que a música estava fantástica: uma seqüência musical pouco provável de acontecer novamente em qualquer outra área. E tudo isso é verdade. Então, vamos dar uma olhada em exatamente como isso aconteceu.
A primeira coisa que precisamos reconhecer é que 1969 foi o auge da contracultura na América. A contracultura hippie incluía o uso de drogas, protestos antiguerra e anticapitalismo, o conceito de amor livre, o movimento de libertação das mulheres, vida em comunidade e muito mais.
Michael Lang, co-fundador do lendário festival, quer realizar uma nova edição em 2009. Basta conseguir patrocínio para marcar o aniversário de 40 anos do projeto.
Os Estados Unidos estavam divididos. De um lado estava um grupo de norte-americanos que apoiava o país: adesivos com dizeres "Ame-o ou deixe-o" nos pára-choques e apoio à guerra do Vietnã. Do outro lado estava o grupo de norte-americanos conhecidos como hippies: um termo que se tornou conhecido por volta de 1967.
18A segunda coisa a ser reconhecida é que o rock já era um grande fenômeno.  Woodstock foi um festival de músicos da contracultura, como Joan Baez, Grateful Dead, The Who, Jimi Hendrix, Janis Joplin, Crosby, Stills e Nash. Reunir essas bandas e artistas num mesmo lugar transformou o Woodstock num ímã que atraiu pessoas de todo o país.
Quatro pessoas são as responsáveis pela idéia que resultou no Woodstock: Artie Kornfeld, Michael Lang, John Roberts e Joel Rosenman. Roberts e Roseman eram jovens ricos que queriam uma idéia que os lançasse como empresários. Kornfield trabalhava na Capitol Records e Lang era um promotor de shows que, em janeiro de 1969, organizou um grande festival (para a época) em Miami, assistido por 40 mil pessoas.
4Lang se uniu com Kornfield e juntos eles tiveram a idéia de um outro festival de música, mas precisavam de dinheiro. O advogado (em inglês) deles os levou até Roberts e Roseman e os quatro se conheceram em fevereiro de 1969. Em março, a Woodstock Ventures Inc. (WVI) foi fundada  para organizar o evento. Woodstock, N.Y. foi escolhida porque muitos músicos já estavam lá: tanto Bob Dylan quanto Jimi Hendrix  tinham casas no local, por exemplo.
Por volta de abril, a WVI já tinha um local e começava a fazer barulho com alguns comerciais. Já estava começando também a contratar as primeiras bandas: US$12.000,00 pela Jefferson Airplane; US$12.500,00 por The Who. Embora estes pareçam números ridiculamente baixos hoje, na época eles equivaliam ao dobro do que as bandas recebiam por seus shows, o que nos mostra como os tempos mudaram. Woodstock foi o evento que fez a fama de muitas dessas bandas e que, ao mesmo tempo, mostrou a todos como era grande o apetite do público pela música.
20Então, em julho, apenas um mês antes do evento acontecer, o lugar originalmente escolhido baixou leis que proibiram o festival. Os organizadores lutaram e encontraram um novo lugar: um campo de 600 acres da fazenda de Max Yasgur em Bethel, N.Y.
No começo de agosto, aproximadamente 200 mil ingressos tinham sido vendidos antecipadamente, e o que tinha começado como um festival de música para aproximadamente 50 mil pessoas cresceu para 200 mil clientes pagantes, e chegaria a mais do dobro disso.
O problema é que não tinha jeito de aquela área abrigar tanta gente; então, quando os músicos começaram a chegar, o engarrafamento ficou gigantesco. Carros foram abandonados no meio da estrada e as pessoas foram andando para o show.19No dia do evento, aconteceram duas coisas impressionantes: primeiro, o festival se transformou num evento grátis. Simplesmente não tinha jeito de controlar a multidão, então os organizadores resolveram liberar a entrada. A cerca ao redor do local foi pisoteada e sumiu. Segundo, a música rolou totalmente. Com todas as estradas bloqueadas, os organizadores tiveram de alugar helicópteros do exército para trazer os músicos.
Havia também o problema do tempo, que às vezes ficava pavoroso. Na sexta-feira, caiu muita chuva. Os helicópteros estavam sobrevoando a inundação. Centenas de pessoas estavam cortando os pés em garrafas quebradas e em tampas de garrafas. No geral, mais de 5 mil atendimentos médicos foram documentados, muitos deles em razão do uso de drogas.
16É difícil acreditar que algo assim poderia acontecer espontaneamente. Era como uma tempestade perfeita: o tempo perfeito no movimento da contracultura, o local perfeito, o zumbido perfeito, a ingenuidade e a inocência perfeitas (imagine tentar agendar tantas bandas de rock atualmente a um custo tão baixo). Foi um perfeito fiasco em quase todos os aspectos, exceto um: a música funcionou. Foi esse sucesso essencial que tornou Woodstock mundialmente famoso (Marshall Brain, site Como Tudo Funciona).

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Alex Harvey And His Soul Band - Alex Harvey And His Soul Band

Cover 2
Banda: Alex Harvey And His Soul Band
Disco: Alex Harvey And His Soul Band
Ano: 1964(*)
Gênero: Blues Rock, British Blues, R&B
Faixas:
1. Framed (Leiber, Stoller) 3:19
2. I Ain't Worrying Baby (Harvey) 2:59

3. Backwater Blues (Johnson) 3:06
4. Let The Good Times Roll (Lee) 3:05
5. Going Home (Harvey) 2:09
6. I've Got My Mojo Working (Morganfield) 3:50
7. Teensville USA (Cogswall) 3:33
8. New Orleans (Traditional) 3:17
9. Bo Diddley Is A Gunslinger (McDaniel) 2:26
10. When I Grow Too Old To Rock (Romberg, Hammerstein) 2:26
11. Evil Hearted Man (Traditional) 3:00
12. I Just Wanna Make Love To You (Dixon) 2:38
13. The Blind Man (David) 2:35
14. Reeling And Rocking (Berry) 3:29
Créditos (prováveis):
Alex Harvey: Vocal
Ted Taylor: Lead Guitar
John Frankland: Rhythm Guitar
Howie Casey: Sax
Bobby Thompson: Bass
Gibson Kemp: Drums
Dave Woods: Sax 
Gravado ao vivo no Top Ten Club, em Hamburgo, Alemanha, em 13 de outubro de 1963, com a banda Kingsize Taylor And The Dominoes.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
Alex Harvey nasceu em 5 de fevereiro de 1935, em Gorbals, Glasgow, Escócia, e faleceu em 4 de fevereiro de 1982, em Zeebrugge, na Bélgica. Tendo deixado a escola aos 15 anos, ele se ocupou com várias atividades antes de optar pela música. Inspirado por Jimmie Rodgers, Woody Guthrie e Cisco Houston, familiarizou-se com diversos músicos que ensaiavam regularmente no estúdio local de Bill Patterson. Em 1955, uniu-se ao saxofonista Bill Patrick num grupo que misturava rock-and-roll e jazz tradicional. Conhecido como Clyde River Jazz Band ou Kansas City Skiffle Band, dependendo da clientela, o conjunto, mais tarde, denominou-se Kansas City Counts, tendo sido, juntamente com a Ricky Barnes All-Stars, uma das bandas vanguardeiras do circuito roqueiro escocês.
No final da década, com seu cantor em manifesto relevo, o grupo ficou conhecido como Alex Harvey's (Big) Soul Band, denominação derivada de um novo formato, mais compacto, para grupos de jazz, inaugurado por Horace Silver. O repertório da banda calcava-se em canções de Ray Charles e da Isley Brothers, além de versões urbanas de R&B, e a utilização inovadora de atabaques e outros instrumentos percussivos enfatizou a natureza suingada do seu som.
Popularizando-se na Escócia e no norte da Inglaterra, Harvey então mudou-se para Hamburgo, na Alemanha, onde gravou "Alex Harvey And His Soul Band", em outubro de 1963. Curiosamente, esse excelente disco não teve a participação do grupo regular do cantor, mas sim de músicos da Kingsize Taylor And The Dominoes. No ano seguinte, Alex retornou ao Reino Unido. Seu grupo estreou em Londres em 6 de fevereiro de 1964 e durante meses seguidos tornou-se uma atração bastante frequentada na capital da Inglaterra. Entretanto, mais uma oportunidade de capturá-lo em disco restou frustrada, pois "The Blues" (nota minha: lançado em 1964) consistia, em grande parte, de material solo de Harvey, acompanhado do seu irmão mais novo, Leslie.
8Esse álbum díspar incluiu leituras adequadamente idiossincráticas de "Danger Zone", "Waltzing Matilda" e "The Rock Candy Mountain Big". A despeito das intenções iniciais em contrário, Harvey dissolveu a Soul Band em 1965, objetivando uma sonoridade folk. Contudo, lançamentos subsequentes, como "Agent 00 Soul" e "Work Song", continuaram espelhando a paixão do artista pelo R&B. Após liderar brevemente a banda da casa noturna Dennistoun Palais, de Glasgow, Alex voltou para Londres em 1967 para formar a psicodélica Giant Moth. Alguns ex-integrantes desse efêmero grupo – Mox (flauta), Jim Condron (guitarra e baixo) e George Butler (bateria) – tocaram com o cantor em dois tonificados singles, "Someday Song" e "Maybe Someday".
4Agoniado pelo seu fracasso comercial, Harvey conseguiu se empregar na acobertada banda (nota minha: no original, "pit band", que, em óperas e musicais, é a orquestra ou banda que fica escondida num poço entre a platéia e o palco) do musical Hair, que protagonizou o disco "Rave Up Live From The Theatre Shaftesbury". O cantor restabeleceu sua carreira solo em 1969, com o voluntarioso "Roman Wall Blues". Esse poderoso álbum continha a versão original de "Midnigh Moses", uma composição que o cantor colocou no repertório da sua vindoura e substancial banda, a Sensational Alex Harvey Band. Ainda estarrecido pela trágica morte do seu irmão Leslie, eletrocutado no palco quando tocava com a Stone The Crows, Harvey criou a Sensational Alex Harvey Band com os membros da Tear Gas, uma esforçada banda escocesa de hard rock.
14E a SAHB virou um das maiores atrações populares, no começo dos anos 70, com seus shows, porém problemas de saúde afetaram o aloprado frontman da banda. Harvey abandonou a SAHB em outubro de 1977, apostando numa carreira individual menos frenética, mas "Mafia Stole My Guitar" não conseguiu recolocá-lo na vitrine. O vocalista sucumbiu a um ataque cardíaco em 4 de fevereiro de 1982, na Bélgica, ao final de uma turnê de quatro semanas pela Europa. Harvey foi um personagem enigmático e cativante, cujas façanhas ainda são contadas até hoje, mesmo após decorrido tanto tempo da sua morte (The Enclyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 661; tradução livre do inglês).

terça-feira, 8 de abril de 2014

A Foot In Coldwater - A Foot In Coldwater

Cover CD
Banda: A Foot In Coldwater
Disco: A Foot In Coldwater
Ano: 1972(*)
Gênero: Hard Rock, Classic Rock
Faixas:
1. On The Wind (Paul Naumann, Alex Machin) 4:06
2. Yalla Yae (Hughie Leggat) 3:51
3. Deep Freeze (Hughie Leggat) 3:46
4. (Make Me Do) Anything You Want (Paul Naumann, Danny Taylor) 5:11
5. Who Can Stop Us Now (Paul Naumann) 3:18
6. Alone Together (Paul Naumann) 3:07

7. Fallen Man (Paul Naumann, Alex Machin) 3:55
8. In Heat (Paul Naumann) 6:09
9. Lady True (Paul Naumann, Alex Machin) 2:26
Créditos:
Alex Machin: Vocals
Bob Horne: Organ, Clavinette
Hughie Leggat: Bass, Acoustic Guitars
Danny Taylor: Drums, Percussion
Paul Naumann: Rhythm Guitar, Lead Guitar, Slide Guitar, Acoustic Guitar, Bass
(*) CD lançado em 1993.
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).
Esse grupo de rock canadense lançou quatro álbuns entre 1971 e 1977. A banda foi formada em 1971 por Alex Machin (vocal), Paul Naumann (guitarra), Bob Horne (teclados), Hugh Leggat (baixo) e Danny Taylor (bateria).
1
Compondo músicas com uma abordagem tradicional, seu trabalho caracterizou-se pelos expressivos vocais de Machin e as linhas melódicas da guitarra de Naumann. O grupo desfrutou de um admirável sucesso com o single "(Make Me Do) Anything You Want", retirado do seu primeiro disco, de 1972. Horne deixou a banda em 1976, e os membros subsistentes debandaram no ano seguinte. Leggat formou a stoniana Private Eye e, posteriormente, uma banda progressiva batizada com seu sobrenome. Machin, Taylor, Naumann e Leggat reuniram-se em 1988 para realizar uma turnê pelo Canadá e continuaram apresentando-se esporadicamente.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

The Count Bishops - Good Gear

Front
Banda: The Count Bishops
Disco: Good Gear
Ano: 1977
Gênero: Garage Rock, Pub Rock
Faixas:
1. Don't Start Cryin' Now (James Moore, Jerry West) 2:05
2. Shake (Sam Cooke) 2:08
3. Walkin' The Dog (Rufus Thomas) 3:40

4. Somebody (Jeremy Spencer) 2:50
5. I Want Candy (Bert Berns, Richard Gottehrer, Bob Feldman, Jerry Goldstein) 3:26
6. Wang Dang Doodle (Wille Dixon) 5:38
7. Dear Dad (Chuck Berry) 1:44
8. Confessin' The Blues (Walter Brown, Jay McShann) 3:25
9. Little By Little (Mick Jagger, Keith Richards, Phil Spector) 2:45
10. Carol (Chuck Berry) 2:35
11. Johnny B. Goode (Chuck Berry) 2:00
12. Dust My Blues (Elmore James) 2:55
13. Shake Your Moneymaker (Elmore James) 2:38
Créditos:
Zen Hierowski: Vocals, Guitars
Johnny Guitar: Vocals, Guitars
Paul Balbi: Drums
Steve Lewins: Bass
Logo Design by FlamingText.com
_______
Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).
Essa banda de R&B britânica, altamente energética, ombreou-se, em termos de excelência, a grupos como Dr. Feelgood e Eddie And The Hot Rods. Liderava-a, originalmente, o vocalista Mike Spenser, natural do Brooklyn, New York, EUA. Spenser veio dos Estados Unidos e trabalhou, em Londres, como empresário de turnês para a banda Chrome. Inicialmente, ele cantou duas ou três músicas com a banda antes de assumir o posto de vocalista. Após telefonar para seu amigo Johnny Guitar (nome verdadeiro: John Crippen), que voou dos Estados Unidos para juntar-se ao grupo, Spenser e os demais integrantes da Chrome mudaram o nome da banda para Count Bishops.
2
Contratada pela pioneira gravadora independente Chiswick Records, em 1975, a banda lançou o EP "Speedball", um dos primeiros lançamentos da incipiente "new wave". Embora Spenser tenha cantado no EP (comercializado em dezembro), ele foi rapidamente substituído pelo vozeirão Dave Tice. Spenser, posteriormente, lideraria a Cannibals. O trabalho dos dois guitarristas, Zenon De Fleur (falecido em 17 de março de 1979) e Johnny Guitar, era sustentado pela seção rítmica composta por Pat McMullan (baixo) e Paul Balbi (bateria). Antes do advento de "I Want Candy", de 1978, a banda resolveu denominar-se apenas Bishops. Um disco ao vivo foi gravado na legendária Roundhouse, em Chalk Farm, no mês de fevereiro de 1978, mas, decorrido um ano, sobreveio a tragédia: Zenon De Fleur sofreu um ataque cardíaco fatal depois de envolver-se num acidente de carro, em Londres, no dia 17 de março.
7
O guitarrista tinha apenas 28 anos. Sua morte antecipou o lançamento de "Cross Cuts", e a banda separou-se pouco tempo depois, ainda que, antes, um punhado de shows tivesse sido realizado sem De Fleur. O grupo retornou em dezembro de 1979, para gravar ao vivo no pub Hope And Anchor, em Islington, visando à coletânea "The London R&B Sessions" (nota minha: lançado em 1980). O lineup, naquele momento, era Dave Tice (vocal, harmônica), Johnny Guitar (guitarra), Pat McMullan (baixo) e Charles Morgan (bateria). Johnny Guitar ocuparia, mais tarde, o posto de John Mayo na Dr. Feelgood, mas a Bishops ainda realizaria uma gravação derradeira em 1984 (nota minha: se a gravação realmente ocorreu, não há notícia de que o disco tenha sido lançado; talvez o biografista se refira ao álbum "Double Agent", que Johnny Guitar gravou em parceria com Bill Hurley em 1985).